Destaque Notícias Notícias da Igreja

Missa dos Santos Óleos reúne fiéis na catedral de Colatina

Nesta quinta, 18/4, foi celebrada na Catedral do Sagrado Coração de Jesus em Colatina, a Missa do Santo Crisma, ou Missa dos Santos Óleos, como também é conhecida.

Esta celebração sempre acontece na Quinta-feira Santa, e reúne todo o clero da Diocese de Colatina/ES para realizar a renovação dos votos dos Sacerdotes e a benção dos Santos Óleos que serão utilizados durante todo o ano nos batismos, unção dos enfermos e Crismas em todas as paróquias da diocese.

A celebração foi presidida pelo bispo da diocese, dom Joaquim Wladimir Lopes Dias, concelebrada pelo reitor do Santuário Diocesano Nossa Senhora da Saúde e bispo emérito da diocese, dom Décio Sossai Zandonade.

Durante a celebração, os sacerdotes renovaram os seus votos de compromisso com a Igreja, para que possam continuar a ajudar o povo amado de Deus.

OS SANTOS ÓLEOS

Na Bíblia, o óleo é símbolo do Espírito Santo: É usado como consagração (Gn 28,18; Ex 30, 22-23; 40,9; 1Sm 10,1; 1Rs 19,16; Sl 45,8; At 10,38), como bênção (Sl 133,2), como cura (Mc 6,13; Lc 10,34; Tg 5,14), sinal de hospitalidade (Lc 8,36-50), símbolo do amor (Ct 1,12; Jo 12,1-8; Mc 14,3-9) e como conservação contra a corrupção (Mc 16,1; 14,3-9).

Com seu extraordinário sentido simbólico, o óleo faz-nos entender a grandeza do mistério que celebramos na fé: o santo Crisma (mistura de óleo e perfume) simboliza o próprio Espírito Santo com o qual Jesus foi consagrado para a missão messiânica.

Como sabemos, Messias ou Cristo significa “ungido”.  O óleo dos catecúmenos indica a fortaleza na luta da vida cristã.  O óleo dos enfermos, usado pelos sacerdotes na unção dos doentes, é sinal de força, alívio, conforto, perdão e libertação.

TRÍDUO PASCAL

A Quaresma se encerra com a Liturgia das Vésperas da Quinta-Feira Santa.

Com a Santa Missa da Ceia do Senhor, dia da instituição do sacramento da Eucaristia, do Sacerdócio e do Mandamento do Amor, abre-se o Tríduo Pascal.

O Tríduo significa os “três dias” nos quais se realiza o mistério redentor de Cristo. A Quinta-Feira Santa nos oferece o momento sacramental do próprio mistério que vamos celebrar, ou seja, nos oferece o que vamos celebrar de forma permanente.

O que Jesus nos mandou celebrar em sua memória, Ele mesmo deu em seu sacrifício pascal. Com a Igreja perpetuamos esse sacrifício salvífico de Cristo.

***
Fotos: Michael Coelho / Portal Mãe da Saúde.

Adicionar Comentário

Clique aqui para postar seu comentário

Destaques